A Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) desenvolve projetos que visam, além do bem-estar da população, à qualidade de vida de seus colaboradores. Entre eles, destaca-se o Núcleo de Saúde da Casa que, desde maio de 2021, oferece atendimento psicológico gratuito aos deputados, servidores e terceirizados. O “Janeiro Branco”, campanha de conscientização da saúde mental iniciada em 2014, acende o alerta e chama a atenção para o adoecimento da mente, além de despertar a importância de mantê-la em constante equilíbrio.

Criado na primeira gestão do atual chefe do Poder Legislativo, deputado Soldado Sampaio (Republicanos), em razão do isolamento social durante a pandemia de covid-19, o Núcleo de Saúde também oferta serviços de emergência, nutricionista e médico ambulatorial.

“A carga de pressões, obrigações e a rotina de trabalho muitas vezes acaba adoecendo o profissional e é importante que ele esteja com a saúde mental em dia. Nossa preocupação, tanto da Mesa Diretora, como dos demais deputados, é assegurar benefícios que possam garantir qualidade de vida aos servidores e contribuir com a produtividade e comprometimento com o serviço público”, disse o presidente Sampaio.

Os dados apontam que os usuários do núcleo foram mais assíduos em 2022. De janeiro a dezembro, houve 922 sessões. O número mais que dobrou em relação a 2021, que registrou 393 atendimentos.

De acordo com a psicóloga Camila Sales, “a proposta da unidade é a Psicoterapia Breve”. Nela, se busca trabalhar um objetivo principal, em um número limitado de sessões.

“Durante esse período, cada terapeuta acessa o bem-estar geral e evolução do paciente por meio de técnicas de sua própria abordagem e de relatos dele [autoavaliação]. Geralmente, são feitos registros de sessão que servirão de base para a análise final do processo terapêutico”, explicou.

Ainda segundo ela, as sessões de terapia ainda auxiliam os servidores com relação ao desempenho profissional.

“O atendimento individualizado promove atenção à saúde do trabalhador, à medida que oferece acolhimento a problemas que interferem em sua vida de forma global. Também ajuda a desenvolver estratégias de enfrentamento de situações específicas, como estresse no trabalho e dificuldades no relacionamento com os pares, por exemplo”, frisou.

A servidora Carla (nome fictício), de 22 anos, faz acompanhamento psicológico desde 2021. Para ela, as sessões a ajudam em diversos aspectos. “Principalmente, em um momento crítico que tive ano passado, em que acumulei uma série de coisas relacionadas à faculdade e ao trabalho e que acarretaram crises de ansiedade”, contou.

A jovem ressalta que a psicanálise não dá as respostas de que o paciente precisa. Porém, ela “ajuda a tê-las”. “Eu acredito que, hoje, sou emocionalmente mais segura para lidar com assuntos do dia a dia, da nossa vida em geral. Obviamente, a gente não está preparado para tudo, mas me sinto mais em paz com uma série de coisas que antes eram gatilhos para crises de ansiedade ou acessos de irritação”, afirmou.

Sobre o apoio do Núcleo de Saúde, Carla disse ser um programa indispensável para os servidores. “Inclusive, acredito que isso deveria ser regra em todas as instituições. Nesses últimos anos com a pandemia e tudo o que ela acarretou, observei uma onda de pessoas emocionalmente doentes. Fora as questões relacionadas ao próprio trabalho, estudo e família que, naturalmente, podem gerar estresse e abalos emocionais”, concluiu.

O serviço psicológico pode ser agendado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, na Avenida Ville Roy, número 5717 A, 2º andar, em cima da agência do Bradesco, ou pelo telefone (95) 98402-4653. Os atendimentos ocorrem das 8h às 17h, no mesmo local de agendamento.

Enfrentamento

O Parlamento estadual também tem sido um forte aliado na prevenção de problemas mentais e emocionais com a promulgação de leis que aprovam políticas públicas que asseguram o diagnóstico, atendimento e tratamento psicológico e psiquiátrico gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), bem como na promoção de debates e eventos alusivos à campanha.

A sanção da Lei nº 1220/2017 instituiu o “Janeiro Branco” no calendário oficial de Roraima. A autora da matéria, deputada Angela Águida Portella (PP), explicou o que a motivou a propor a ação.

“Nós vivemos em uma sociedade cheia de inquietações, e as redes sociais aumentaram muito essa condição de buscar uma identidade e de se comparar com o outro. Existe, também, uma pressa de alcançarmos patamares que parecem obrigatórios, mas muitos são inalcançáveis e não trabalhamos com a conformidade, queremos sempre mais. A construção disso passa por uma base emocional e material. As pessoas estão ficando ansiosas e isso desencadeia uma série de doenças mentais”, enfatizou Portella.

A parlamentar destacou ainda que a iniciativa nasceu no Brasil, através de um instituto de mesmo nome (Janeiro Branco), que coordena o movimento e tem sido adotado por outros países. “Existe uma necessidade muito grande de nós entendermos que precisamos alimentar e cuidar também dessa nossa dimensão emocional e espiritual. Sempre cultuamos a questão física, mas não somos só corpo”, lembrou a deputada.

De acordo com a lei, a data é dedicada à realização de atividades educativas sobre o assunto. A ideia é que os órgãos públicos promovam palestras gratuitas em locais onde há grande concentração de pessoas e incentivem o cuidado da sanidade mental.

Outras leis

Lei nº 1.065/2016 – inclui no calendário oficial do Estado a “Semana de Valorização da Vida e Prevenção ao Suicídio”, de autoria do ex-deputado Evangelista Siqueira;

Lei nº 1.364/2019 – cria a notificação compulsória dos casos de tentativa de suicídio e/ou automutilação atendidos nos estabelecimentos públicos e privados da rede de saúde do Estado de Roraima, da ex-deputada Yonny Pedroso;

Lei nº 1.324/2019 – cria a política de diagnóstico e tratamento da síndrome da depressão nas redes públicas de saúde, do deputado Neto Loureiro (PMB);

Lei 1.441/2020 – dispõe sobre a contratação emergencial temporária de psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais, na estrutura da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), para oferecer atendimento às vítimas de depressão e tendências suicidas em decorrência da covid-19, proposta pelo ex-deputado Evangelista Siqueira;

Lei nº 1.410/2020 – autoriza o Executivo a criar um portal online para comunicação entre profissionais de saúde mental e pessoas que sofrem com crise de ansiedade, pânico, depressão e doenças semelhantes em decorrência do isolamento social, do ex-deputado Jalser Renier;

Lei nº 1.542/2021 – inclui no calendário oficial do Estado de Roraima a campanha “Setembro Amarelo”, em alusão ao mês de sensibilização e prevenção ao suicídio, também do ex-deputado Evangelista Siqueira.

Fonte: Alerr

Compartilhe!