alerj_geometriaO Palácio Tiradentes recebe, entre os dias 16 de agosto e 16 de setembro, a exposição “Arte Geométrica” do artista Luís Lage. Sua obra é baseada em recursos visuais, sobretudo na ilusão de ótica, movimento que expressa a diversidade do mundo e ilimitadas possibilidades. Segundo o artista, “menos expressão e mais visualização”.

Os quadros não recebem nomes, mas sim códigos alfanuméricos, o que, antes de tudo, é uma declaração da vontade do autor de não viciar o olhar de quem contempla. Em muitas obras o observador deve se movimentar para visualizar os efeitos da pintura ou escultura. Desta forma, o visitante participa ativamente da mostra. Isso torna o trabalho de Luís Lage uma obra aberta, cujo resultado se transforma conforme o ponto de vista do observador.

Sobre o artista

Nascido em 1952 na cidade do Rio de Janeiro, Luis Lage é morador de Petrópolis, na Região Serrana fluminense e, desde sempre, foi observador dos detalhes matemáticos presentes em cada elemento da paisagem. Ele extrai os elementos e os remete ao papel. O artista plástico possui uma extensa obra composta de quadros de tinta nanquim. Da experiência como engenheiro em projetos de grandes máquinas e sua relação com o desenho tridimensional, Lage desenvolveu uma natural admiração pelo trabalho do precursor da op-art (optical art), Victor Vasarely (1908).

Fonte: ALERJ

Compartilhe!