A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) formalizou, na última segunda-feira (3), apoio ao projeto de iniciativa popular que torna hediondos os crimes de lesão corporal ou homicídio praticados contra agentes da segurança pública. Pelo texto do projeto, que precisa de 1,4 milhão de assinaturas para chegar à Câmara dos Deputados, em Brasília, além de policiais, são considerados agentes da lei guardas municipais, membros do Poder Judiciário, do Ministério Público, da Defensoria Pública e agentes penitenciários. O presidente da Alerj, deputado Paulo Melo (PMDB), abriu a solenidade e assinou o documento, ressaltando a importância da mudança na legislação.

“A Assembleia Legislativa dá todo o seu apoio a esse projeto, que parte da sociedade na tentativa de dar uma punição mais severa aos que cometem crimes contra agentes da segurança pública”, enfatizou.

Melo disse ainda que pretende criar uma comissão para acompanhar a tramitação desse projeto em Brasília. Responsável pelo ato, o deputado Flávio Bolsonaro (PP) ressaltou a importância do apoio institucional do presidente da Casa. “Esse apoio traz ainda mais legitimidade ao projeto, que é uma súplica, um pedido para que a legislação seja mais rigorosa com quem comete crimes contra policias e servidores da segurança. Essa é a nossa causa e, agora, vamos sensibilizar a sociedade”, afirmou.

Fonte: ALERJ

Compartilhe!