aleprA partir do segundo semestre as sessões da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) serão transmitidas também na Língua Brasileira de Sinais (Libras) usada pelos portadores de deficiência auditiva. Um convênio com a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), que está sendo tratado pela Mesa Executiva da Alep, vai permitir que interpretes dessa linguagem traduzam o conteúdo das sessões pela TV Assembleia, para que os debates do Parlamento sejam acessíveis à comunidade surda. Uma reunião entre o presidente da Alep, deputado Ademar Traiano (PSDB), o primeiro secretário, Luiz Claudio Romanelli (PSB), a ouvidora da Alep, Claudia Pereira, com a representante da Feneis, psicóloga Celma Gomes, que é surda, e a intérprete de Libras, Lígia Klein, deu início à tratativa.

“Essa é mais uma iniciativa da Assembleia para abrir suas portas de praticar a inclusão e permitir o acesso aos debates da Casa a todos os cidadãos. Com esse convênio estaremos permitindo o acesso aos trabalhos do Parlamento a um grande número de pessoas”, destacou o presidente.

Traiano destacou o papel da ex-deputada Claudia Pereira nessa iniciativa. “Ela sempre foi, desde os tempos de deputada, a grande defensora dos interesses dessa comunidade”. Celma Gomes falou, através da interprete, sobre a importância da ação pioneira da Assembleia: “No Paraná ainda estava faltando um maior apoio à acessibilidade e apoio político às ações dessa socialização”. Lígia Klein e Celma Gomes contaram que a atuação da primeira-dama Michelle Bolsonaro, uma militante da causa, tem ajudado o movimento. Michelle deverá estar presente quando as sessões da Assembleia começarem a ser transmitidas em Libras, em agosto.

Também participaram da reunião os diretores: Dylliardi Alessi, diretor Legislativo; Ivilim Koelbl, secretária-geral da Presidência; Vinicius Augusto Moura Ribeiro da Silva, diretor de Apoio Técnico; e o procurador-geral Luiz Fernando Feltran.

Fonte: ALEPR
Compartilhe!