alepe-21-11Na data em que se comemora o Dia da Consciência Negra, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) realizou, na noite da terça (20), uma Reunião Solene em reverência aos 40 anos de luta e resistência do Movimento Negro Unificado (MNU). A homenagem à entidade ­- fundada em 18 de junho de 1978, durante o regime militar – foi proposta pelo líder do Governo na Casa, deputado Isaltino Nascimento (PSB).

Na época da fundação, militantes do MNU marcharam contra a violência racial pelas ruas de São Paulo. “Passadas quatro décadas de sua criação, o movimento ganhou corpo e alcance nacional, por meio da união de milhares de pessoas que se levantaram contra o racismo. Movimentos como o MNU lograram muitas conquistas pelo Brasil e pelo mundo”, destacou a deputada Laura Gomes (PSB), que coordenou a solenidade.

Na visão da parlamentar, muitas outras batalhas, no entanto, ainda se fazem necessárias. “Precisamos, também, resgatar a importância de personagens negros para a construção de Pernambuco e do Brasil”, acrescentou.

Nascimento lembrou que o MNU foi um dos primeiros grupos a denunciar, de forma sistemática, o racismo e a violência policial, assim como a falar da história do povo africano, do negro no Brasil e da questão das empregadas domésticas. Para o deputado, trata-se de uma das instituições mais importantes da história do movimento negro no País.

“A entidade teve grande importância na luta antirracista, sobretudo no período da ditadura militar. Muitas questões ainda precisam avançar, mas já houve progressos significativos que resultaram do fortalecimento da luta e da mobilização nesses 40 anos de atuação do MNU”, frisou o líder governista.

Representando o Conselho Político da entidade, Zé de Oliveira recebeu uma placa comemorativa em homenagem à data. “Essa iniciativa, vinda do deputado Isaltino Nascimento, pela referência e envolvimento que ele tem junto ao movimento, já resume toda a importância dos 40 anos do MNU”, enfatizou. Oliveira também lembrou o trabalho ininterrupto da entidade para fazer valer os direitos do povo negro e não negro do Brasil. Na avaliação do representante, os desafios do MNU se renovam na atual conjuntura política do País.

A Reunião Solene contou com a presença do presidente da Assembleia, deputado Eriberto Medeiros (PP); da coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) de Combate ao Racismo do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Bernadete Figueiroa; do grupo de afoxé Omô Nilê Ogunjá; do Coral Vozes de Pernambuco, formado por servidores da Alepe; entre outros.

Fonte: ALEPE
Compartilhe!