2019_10_23_10_15_46_bf736913-448f-4205-bdc3-1e27086be52cMais um ano as servidoras do Poder Legislativo têm acesso a exames de prevenção na ação do Outubro Rosa, isso graças à parceria da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS) com a Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems), que disponibilizou um ônibus totalmente equipado para a realização de 50 mamografias e 100 exames Papanicolau.

Dez profissionais atuam no ônibus que ficará estacionado nesta quarta-feira (23), até às 17h, no estacionamento da ALEMS e que desde às 7h recebeu as servidoras que se cadastraram previamente para os exames. Uma delas foi Roseli Muniz, que elogiou a facilidade do acesso aos exames com o ônibus indo ao local de trabalho. “Essa é segunda vez que consigo fazer e é muito bom, pois nem sempre conseguimos na rede pública e aqui nem precisamos faltar o serviço para fazer”, elogiou a servidora, que trabalha como copeira na Casa de Leis.

A fotógrafa Luciana Nassar também aproveitou a ação. “Temos que nos cuidar sempre e essa praticidade de ter o ônibus aqui é fantástica. O exame é simples, prático eu não senti dor nenhuma, é só um desconforto, mas as enfermeiras são super carinhosas e capacitadas para atender, então vale muito a pena”, disse.

Os deputados Antônio Vaz (Republicanos), presidente da Comissão de Saúde da ALEMS, e Felipe Orro (PSDB), idealizador da ação, conversaram com as servidoras durante o início dos atendimentos. “Quero agradecer a Cassems por disponibilizar todo esse equipamento, fazendo com que as servidoras possam vir rapidamente fazer os exames, de suma importância, porque a vida corrida faz com que algumas deixem para depois e a prevenção é essencial. Com certeza, vai dar mais saúde e ajudar a salvar vidas”, destacou Felipe Orro.

A técnica de Radiologia que está atuando na equipe do ônibus, Viviane da Costa Silva, explicou que a mamografia é capaz de detectar cânceres em fase muito inicial. “O aparelho consegue captar o câncer do tamanho de um grão de arroz, então é muito pequeno, coisa que no autoexame nem sempre é possível perceber. Apesar disso, o autoexame é fundamental para que a mulher conheça seu corpo e perceba as mudanças”, destacou.

Os exames serão enviados para análise e o resultado será entregue, com laudo, para a ALEMS e para as servidoras. Caso necessário, a paciente será orientada a procurar um médico especialista.

“A prevenção é o foco principal dessa ação. No exame preventivo [Papanicolau] também já indicaremos qualquer inflamação ou outras possíveis enfermidades. O ideal é realizá-lo uma vez ao ano ou sempre que perceber corrimento, dor na relação sexual ou sangramento fora do ciclo menstrual”, instruiu a enfermeira Luciana Teixeira Braga, que fez a coleta dos materiais para os exames.

Saiba mais

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), no câncer de mama é detectado um nódulo (caroço) fixo, endurecido e, geralmente, indolor. A pele da mama pode ficar avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja, com alterações no bico do seio, pequenos nódulos na região das axilas ou pescoço e saída espontânea de líquido dos mamilos. O câncer de mama é segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Para o Brasil, foram estimados 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019. Saiba mais nesta cartilha.

Já o câncer do colo do útero, segundo o Inca, também chamado de cervical, é causado pela infecção persistente por alguns tipos (chamados oncogênicos) do Papilomavírus Humano –  HPV. A infecção genital por este vírus é muito frequente e não causa a doença na maioria das vezes. Entretanto, em alguns casos, podem ocorrer alterações celulares que poderão evoluir para o câncer. Estas alterações das células são descobertas no exame preventivo e são curáveis na quase totalidade dos casos.

Entre os tratamentos para os dois tipos de câncer citados estão a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia. A detecção precoce é importante, pois ambos os cânceres podem levar à morte. Consulte regularmente seu médico ginecologista.

FONTE: ALEMS
Compartilhe!