1190660A edição 2018 do Parlamento Jovem de Minas (PJ Minas) está chegando à etapa final. Ao longo de quase um ano, centenas de estudantes do ensino médio de 81 municípios mineiros se debruçaram sobre o tema “Violência contra a mulher”, participaram de oficinas, ouviram depoimentos, foram às ruas para conversar com a população e esmiuçaram a Lei Maria da Penha.

Na próxima quarta-feira (19), cerca de 120 desses jovens, representantes de todas as regiões do estado, chegam à Assembleia Legislativa de Minas Gerais para a Etapa Estadual 2018  do projeto, que vai até sexta-feira (21). Na página do projeto no Facebook, os estudantes trocam informações e fazem contagem regressiva para o início do evento.

Durante a etapa estadual, eles participarão de uma série de atividades, analisarão e votarão as propostas que foram levantadas nas etapas anteriores e que, na opinião deles, devem ser priorizadas para combater a violência contra a mulher. O resultado de todo esse processo se transformará em um documento a ser encaminhado à Comissão de Participação Popular do Parlamento mineiro.

O PJ Minas é uma iniciativa de educação para a cidadania da Assembleia de Minas, por meio da Escola do Legislativo (ELE), realizada em parceria com dezenas de câmaras municipais. Este ano, participaram 81 municípios e mais de 2,8 mil estudantes do ensino médio.

Trajetória – Esta é a 15ª edição do projeto, que começou em 2004, com apenas seis escolas de Belo Horizonte, e que hoje se consolida com uma das práticas participativas mais exitosas da ALMG. Nos últimos anos, o Parlamento Jovem de Minas também se tornou um dos principais instrumentos de interação entre as câmaras municipais mineiras e a população.

Participantes destacam aprendizado e interação com outros setores

Em todas as regiões do Estado, os participantes ressaltam o aprendizado que tiveram com as atividades do PJ Minas. Kauan Paiva, de 18 anos, estudante da Escola Estadual Professora Palmira Morais, de Itabira (Central), ressalta que aprendeu muito no contato com os vereadores de sua cidade.

Já André Israel Pio, de 15 anos, estudante do Colégio Ultra, de Andradas (Sul), garante que a participação no projeto está fazendo com que ele se torne um cidadão melhor, mais apto a participar das decisões políticas da sociedade. Sua colega Bruna Signorelli, de 17 anos, tem a mesma opinião.

Larissa Cristina Velloso, que estuda em uma escola particular de João Monlevade (Central), afirma que a interação com estudantes de escolas públicas foi uma das coisas mais enriquecedoras para ela, além do contato com autoridades locais. “Para discutir violência contra a mulher, também conversamos com juízas e delegadas, o que nos ensinou muito e aumentou nosso repertório”, disse a estudante de 17 anos.

É comum terminar uma edição e os jovens já pedirem para participar de novo no próximo ano. É o caso de Bianca Cristina Silva, também de Itabira, que está no PJ Minas pela terceira vez. “Como o tema muda a cada ano, em cada edição eu tenho a oportunidade de aprender mais em uma área”, afirmou sorridente, em uma visita que o grupo de sua cidade fez à Assembleia, em agosto deste ano.

Tema para 2019 já será definido agora

Como tudo no projeto, a escolha do tema do PJ Minas é uma construção coletiva, que começa sempre no ano anterior, na etapa municipal. Durante a discussão do tema do ano corrente, os estudantes participam de palestras, oficinas e debates também para levantar assuntos que podem ser o destaque do próximo ano.

O município leva sua sugestão de tema para votação na plenária regional, e ali é definido um tema único do polo. Para 2019, foram sugeridos temas como “Etnocentrismo”, “Depressão na juventude”, “Aborto, discriminação e liberdade de expressão na era digital”, “Maus‑tratos contra os animais” e “Violência contra a população LGBT”.

As sugestões dos polos são encaminhadas depois para a ALMG, onde uma equipe de consultores faz a análise e a compilação dos temas, para que depois a coordenação estadual priorize as três propostas que os estudantes apreciarão na etapa estadual.

E foi assim, após esse processo, que foram escolhidas as três propostas a serem apreciados para definição do tema do PJ Minas 2019: “Jovem no mercado de trabalho”, “Preconceito racial”, “Bullying, ciberbullying e Liberdade de expressão”. Uma dessas será eleita na plenária final e amplamente discutida no próximo ano.

 Fonte: ALEMG
Compartilhe!