Foto/Divulgação

Esta é a última semana para contribuir para a campanha “Natal Sem Fome 2021”, uma das maiores mobilizações solidárias da sociedade civil por todo o País e que tem a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) como um dos pilares no Estado.

Até esta sexta-feira (17/11/21), é possível fazer contribuiçõesem dinheiro, via depósito, transferência tradicional ou Pix, para compra de cestas básicas ou, se preferir, doar brinquedos novos diretamente no posto de arrecadação na entrada do Palácio da Inconfidência (Rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho, Belo Horizonte), sede do Parlamento mineiro.

A campanha “Natal Sem Fome” é organizada pela Organização Não Governamental (ONG) Ação da Cidadania, fundada em 1993 pelo sociólogo Betinho, e já ajudou mais de 20 milhões de pessoas a terem um Natal digno. Todas as doações serão recebidas pela Associação Arebeldia Cultural, entidade parceira na execução de ações doComitê Estadual da Ação Cidadania em Minas.

Como doar

As doações de recursos para compra de cestas básicas vão diretamente para a conta-corrente da Associação Arebeldia Cultural (Banco Itaú, agência 0781, conta corrente 02665-3). Da mesma forma, a chave do Pix é o CNPJ da entidade: 10956372/0001-40. No Portal da ALMG é possível conferir ainda o QRCode para facilitar a doação.

Em virtude da pandemia de Covid-19, estão sendo coletados apenas brinquedos novos, para prevenir o risco de contágio da doença. O posto de coleta ainda funciona desta segunda (13) a sexta (17), das 9 às 18 horas. Os brinquedos doados estão sendo colocados junto à árvore de Natal montada na Galeria de Arte, até serem encaminhados para a Associação ARebeldia Cultural.

A adesão da ALMG à campanha “Natal Sem Fome 2021” aconteceu no dia 18 de novembro, com a assinatura do presidente do Parlamento mineiro, deputado Agostinho Patrus (PV), da carta-manifesto de apoio. Com isso, a Assembleia se juntou a uma imensa rede de solidariedade em todo o País da ONG Ação da Cidadania, responsável pelamaior campanha de combate à fome da história da América Latina.

ONU

Em 2013, o Brasil conseguiu sair do levantamento Mapa da Fome” da Organização das Nações Unidas (ONU), mas a piora rápida dos indicadores sociais desde então levou à reativação da campanha já em 2017. Pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) estima que 59,4% dos lares brasileiros sofrem com a insegurança alimentar.

Nessa linha, segundo dados divulgados pela própria Ação da Cidadania, 116,8 milhões de brasileiros vivem com algum grau de insegurança alimentar e 19,1 milhões de brasileiros passam fome no Brasil.

Em Minas Gerais, segundo levantamento da Fundação João Pinheiro, mais de 5 milhões de mineiros vivem na pobreza ou na extrema pobreza, isso mesmo antes da pandemia, o que representa um a cada quatro mineiros.

País civilizado não pode aceitar passivamente a miséria

“As crianças voltaram aos semáforos, cada vez mais pessoas estão dormindo nas ruas, falta comida no prato e a fome chegou literalmente aos ossos. Nenhum país civilizado pode aceitar passivamente a miséria”, afirmou Agostinho Patrus, em seu pronunciamento na Reunião Especial de Plenário que selou a adesão da ALMG à campanha.

Nessa linha, a mensagem da campanha “Natal Sem Fome 2021” é “E se cada um fizer a sua parte?”. Essa convocação à solidariedade faz referência à “Fábula do Beija-Flor”, uma das histórias contadas por Betinho ainda na década de 1990.

Nessa história, o pássaro é questionado ao tentar apagar um incêndio na floresta levando somente um pequeno volume de água no bico de cada vez. Ele tem consciência de que sozinho não consegue, mas dá o exemplo de que, se cada animal da floresta fizer a sua parte, o fogo vai cessar.

Assembleia Solidária

Por meio de várias ações que estão sendo desenvolvidas no âmbito do Legislativo, a Assembleia mobilizou uma rede de parceiros para auxiliar e promover a edição deste ano da campanha “Natal Sem Fome”.

Essas ações integram o programa Assembleia Solidária, criado em setembro de 2011 pela ALMG e por entidades parceiras com o objetivo de engajar pessoas e organizações em causas sociais. Diante desse quadro, agravado decisivamente pelo advento da pandemia de Covid-19, a ALMG também implementou diversas iniciativas visando ao combate da pobreza e a promoção da dignidade dos mineiros.

Uma das mais significativas foi a aprovação do auxílio Força Família. Este auxílio foi criado pela ALMG por meio do Projeto de Lei 2.442/21, de autoria coletiva dos 77 deputados, mas tendo como primeiro signatário o presidente Agostinho Patrus.

Segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Sedese), mais de 1 milhão de famílias já foram beneficiadas pelo repasse único de R$ 600, totalizando R$ 650 milhões já transferidos.

Fonte: ALEMG

Compartilhe!