Na semana passada, dia 02 de abril, foi celebrado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Criada em 2008 pela Organização das Nações Unidas (ONU), a data alerta para a importância de conhecer e tratar o transtorno do espectro autista (TEA), que atinge mais de 70 milhões de pessoas no mundo todo.

Atenta às necessidades específicas dessa população, a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará criou, em setembro de 2020, o projeto Mundo Azul para crianças com TEA. Atualmente, a iniciativa atende 40 crianças e suas famílias, sendo direcionada a servidores da AL e comunidades do entorno do Parlamento cearense.

A primeira-dama da AL, Cristiane Leitão, em entrevista à TV Assembleia,  aponta a data que marca o Dia Mundial de Conscientização do Autismo como de suma importância, pois conscientiza a sociedade a ter um olhar de amor para as crianças com TEA. Ela ressalta ainda o Projeto Mundo Azul, da Assembleia Legislativa, e o importante trabalho e dedicação dos profissionais que atuam no atendimento as crianças.

O coordenador do projeto, Bráulio Costa, informa que projeto é desenvolvido por uma equipe multidisciplinar formada por 37 profissionais de diversas especialidades, que utilizam protocolos clínicos de avaliação padronizados de acordo com cada área de atuação. “A gente se junta, estuda o caso da criança e direciona a estratégia que aquela criança necessita para aquele ganho ou para aquele avanço”, comentou.

A psicóloga Camila Militão, que integra o projeto Mundo Azul, frisa a necessidade de detectar precocemente o transtorno, a fim de que a criança consiga desenvolver as habilidades necessárias a sua autonomia. Ela informa ainda que o diagnóstico da criança com TEA pode ser feito antes dos dois anos de idade, a depender dos sintomas apresentados. “Isso não é incomum, porque os médicos têm protocolos muito sensíveis ao período de desenvolvimento da criança e conseguem fazer essa avaliação para uma intervenção precoce”, salienta.

Valeska Ferreira é mãe do Felipe, uma das crianças atendidas pelo Mundo Azul, e aponta como uma das grandes vantagens do projeto a centralização de várias especialidades em um só espaço. “Graças a Deus, no Mundo Azul tem essa equipe multidisciplinar: tem psicóloga, psicopedagoga, fisioterapeuta, tem tudo em um só lugar. Não preciso estar com o Felipe indo para um prédio, indo para uma clínica em outro canto. Lá a gente consegue tudo”, elogia.

ATENDIMENTO ON-LINE

Após o decreto de lockdown pelo Governo do Estado para conter o avanço da pandemia da Covid-19 no Ceará, o projeto Mundo Azul passou a funcionar de forma remota. O atendimento on-line é feito por meio de diferentes plataformas: Zoom, Google Meet e WhatsApp. Conforme a psicóloga Camila Militão, o projeto manteve os horários de atendimento, diminuindo apenas o tempo de cada sessão.

“A maioria das crianças no projeto é atendida por pelo menos cinco especialistas, e cada especialidade tem um atendimento de 40 minutos. Você imagina que a criança fica das 13h30 às 17h25, entra um terapeuta e vai para outro. Se a gente tivesse mantido esse mesmo manejo online, ia ficar muito cansativo para a criança”, explica.

Úrsula Sousa, mãe do Pedro Lucas, relata que seu filho, a princípio, mostrou resistência ao atendimento virtual, o que foi mudando com o passar do tempo. “A partir do momento em que as profissionais começaram a interagir, a brincar, a chamar a atenção dele com uma pequena tela de celular, ele começou a se interessar, e eles conseguiram, nessa pandemia, criar esse vínculo que a criança jamais imaginou”, comenta.

Desde o início das atividades, em setembro de 2020, o projeto Mundo Azul já realizou mais de 4.000 atendimentos. A iniciativa é destinada a dependentes de servidores da AL e comunidades situadas no entorno do Parlamento cearense. O foco são crianças de 2 anos a 13 anos. Os atendimentos acontecem de segunda a quinta-feira e cada sessão de terapia tem duração de 40 minutos.

Fonte: ALECE