A Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, por meio da Procuradoria Especial da Mulher (PEM) e mais 30 entidades parceiras, realiza, no próximo sábado (05/08), a 1ª Marcha em Defesa das Mulheres pelo fim da violência contra a mulher e de combate ao feminicídio. A concentração será às 7h30, na sede da Procuradoria Especial da Mulher da Alece, e terá como destino final a Praça Portugal.

A caminhada, em alusão ao Agosto Lilás, busca reforçar a luta pelo fim de todas as formas de violência contra a mulher e o fortalecimento dos direitos femininos. Esse também é um movimento para levar à sociedade civil uma reflexão sobre as desigualdades de gênero que ainda permeiam a sociedade e se refletem nos altos índices de violência contra a mulher no estado do Ceará.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado (SSPDS), só no ano de 2023, cerca de 68 mulheres foram assassinadas, sendo 11 descritas como crimes de feminicídios.

A procuradora da PEM, deputada Lia Gomes (PDT), ressalta a importância de mostrar à sociedade o repúdio a essa violência crescente no nosso Estado e no nosso País e convida todos a se engajarem no enfrentamento da violência contra a mulher. “Esse é um convite não só para as mulheres, mas para os homens também, pois precisamos que eles se juntem a nós nessa luta”, afirma.

Também irão participar do evento Movimento da Mulher do Legislativo Cearense(MMLC), Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Governo do Estado do Ceará, Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará (Fecomércio), Coordenadoria das Mulheres de Fortaleza, Comissão da Mulher Advogada da OAB, Coalisão Nacional de Mulheres, Associação Cearense de Advogados da Família (ACAF), Instituto Empoderar, Frente Nacional das Mulheres com Deficiência, Instituto Maria da Penha, Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Estado do Ceará (APDM), Conselho Cearense dos Direitos da Mulher (CCDM), Associação Brasileira de Mulheres de Carreiras Jurídicas (ABMCJ Ceará).

E ainda a Academia Cearense de Direito, União Brasileira de Mulheres, Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado do Ceará, Aliança Nacional LBGTI+, Mães da Resistência, União Nacional LGBT (UNALGBT), Fundação Mulheres Aceleradas, Grupo Mulheres do Brasil, Instituto Direito Acessibilidade e Inclusão, Sindicato dos Policiais Civis do Estado, Vem Cá Mulher, Movimento de Valorização da Mulher.

Fonte: ALECE

Compartilhe!