Os protocolos de assistência médica para os pacientes com suspeita de ter contraído Covid-19 se aperfeiçoaram, visando a uma maior eficiência no combate à doença. É o que informa o médico cardiologista Célio Vidal, do Departamento de Saúde e Assistência Social (DSAS) da Assembleia Legislativa do Ceará.

De acordo com o médico, no princípio da pandemia, devido à fase de contenção da doença para evitar o contágio, as recomendações eram de que as pessoas com sintomas leves da enfermidade deveriam permanecer em casa. Hoje, no entanto, quando a pessoa tiver sintomas persistentes, a partir do segundo dia depois de identificar esses sinais, deve buscar o atendimento dos profissionais de saúde.

Célio Vidal acrescenta que a orientação pode ser, inicialmente, por meio de um contato telefônico junto à Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), no sentido de buscar uma reavaliação. “Algumas medidas podem ser tomadas para evitar uma manifestação mais grave da doença”, recomenda.

O médico esclarece ainda que pessoas possuidoras de alguma comorbidade não devem postergar a busca do atendimento. Se apresentarem sintomas como dor no peito, diminuição da força muscular, redução na capacidade de falar, que indicam problemas cardiovasculares e vascular cerebral, as maiores causas de mortalidade no Brasil, atingindo mais de 30% do total das mortes, essas pessoas não devem adiar o atendimento médico com medo de pegar a Covid-19. “Essas patologias, quando atendidas em seu momento ideal, podem ser revertidas”, orienta.

FONTE: ALECE
Compartilhe!