A Procuradoria da Mulher da Assembleia Legislativa reuniu nesta segunda-feira (04/1/2021) com o Comando Geral do Corpo de Bombeiros com o objetivo de conversar a respeito de casos de violência contra mulher praticado por militares, em especial, o ultimo caso ocorrido no município de Santana, a pouco mais de 20 quilômetros de Macapá, onde um oficial do CBM é acusado de violentar uma criança de 12 anos.

As deputadas Cristina Almeida (PSB), Telma Gurgel (Podemos), Edna Auzier (PSD) e a advogada Jôsy Setubal, que representou a deputada Aldilene Souza (PPL), buscaram informações sobre o andamento do caso e quais as providências que estão sendo tomadas pela corporação.

Para as parlamentares a reunião foi positiva, visto que a comando não corrobora com essa atitude e está atuando com cautela para realizar o processo com justiça.

“Saímos, desta reunião, com várias propostas de colaboração e união das duas instituições para combater o crescimento do número de casos de violência”, declarou a deputada Telma Gurgel.

A titular da Procuradoria, a deputada Cristina Almeida, esclareceu que o encontro foi para deliberar sobre a violência contra mulher envolvendo os militares e percebeu a responsabilidade com que o comando tem tratado esta pauta dentro dos casos que chegam ao conhecimento do CBM.

A deputada Edna Auzier disse estar otimista com o que fora discutido e era isso que elas queriam quanto mulher, quanto instituição Assembleia e Procuradoria, fazer justiça, fazer com que as mulheres, vítimas da violência, possam ser ouvidas.

Destacou que unidos podem sim combater a violência. “Queremos que as mulheres sejam respeitadas, que tenham um espaço de igualdade, para isso é necessário a atuação da Procuradoria”, declarou a parlamentar.

A Procuradoria da Mulher dispõe de advogados, assistente social e psicólogos, que auxiliam tanto a família da vítima, quanto a do agressor. Segundo a deputada Edna Auzier, a Procuradoria tem o papel de colher as informações e cobrar dos órgãos, mas perceberam que as famílias precisavam ser assistidas e através do apoio do presidente Kaká Barbosa (PL) puderam realizar uma parceria com os Capuchinhos, onde essas famílias são atendidas por profissionais da área de psicologia e assistência social.

O Coronel Wagner avaliou de suma importância a presença da Procuradoria da Mulher na instituição do Corpo de Bombeiros, envolvida nesse fluxo de proteção. Disse que a corporação se sente à vontade e que foi colocado, na reunião, os procedimentos adotados pela instituição em relação ao processo. Enfatizou que o comando não compactua com essas ações, que esta instituição tem grande prestígio na sociedade e que sua missão é: “vidas alheias e riquezas salvar”. Informou que os atos praticados pelos integrantes são devidamente pautados pela corregedoria e dependendo da situação existe o setor psicossocial que funciona dentro do centro de saúde, para acolher o militar, se ele necessitar.

Ao final da reunião, a deputada Cristina Almeida questionou se havia possibilidade de ser adicionada a disciplina que pudesse tratar sobre o tema: violência contra mulher, na formação dos militares, pois para ela, o compromisso de fortalecer a parceria através do curso de formação, do ingresso do bombeiro militar à corporação, irá contribuir significativamente na formação do militar, para que o profissional possa entender melhor essa pauta e saber que a corporação tem o compromisso no combate a violência contra mulher.

A nova disciplina a ser incorporada no curso de formação será uma ação integrada entre as instituições da Assembleia e o Corpo de Bombeiros.

Fonte: ALEAP