Foto/Divulgação

O mês de março foi escolhido para chamar a atenção da população feminina sobre os perigos do câncer do colo do útero e é voltado para ações de prevenção. A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) apoia o movimento e destaca a legislação aprovada sobre o tema. O Amazonas é o estado com maior incidência da doença no país, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), sendo Manaus a capital com maior número de casos.

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a intenção é conscientizar as mulheres sobre a importância de fazer o exame de detecção de lesões no útero, conhecido como papanicolau. Terceiro tumor mais frequente na população feminina brasileira e quarta causa de mortalidade, o câncer do colo do útero tem como principal agente o vírus do Papilomavírus Humano (HPV), transmitido através de relação sexual.

No Amazonas, no entanto, a incidência do câncer de colo de útero, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é maior do que a média brasileira: a taxa bruta, que projeto o número de casos para 100 mil mulheres é de 16,35 para o Brasil e 33,08 para o Amazonas.

Esses números justificam a preocupação da Assembleia Legislativa em legislar sobre o tema e constantemente realizar ações de conscientização e motivação para a prevenção. É o caso da Lei nº 3.872, aprovada ainda em 2013, que institui a vacinação da população do sexo feminino, na faixa etária de 11 a 13 anos e matriculada na rede pública estadual, municipal e privada de ensino, o direito de receber todas as doses necessárias da vacina para imunização contra o HPV, na rede pública estadual de saúde.

Para o presidente da Casa, deputado Roberto Cidade (PV), a prevenção precisa ser uma rotina na vida dos amazonenses. “Sempre que pudermos estaremos aqui, cumprindo nosso papel de alertar a sociedade, e, internamente, nossas servidores quanto à importância e necessidade dos exames preventivos, além da vacinação dos adolescentes contra o HPV”, destacou.

De acordo com o Diretor de Saúde da Aleam, médico Arnoldo Andrade, o trabalho de conscientização das servidoras, dependentes e terceirizadas já vem sendo realizado há alguns anos. “Essa é uma campanha extremamente importante, uma vez que o câncer do colo uterino quando não detectado precocemente, pode levar à morte. Com o preventivo conseguimos detectar na fase inicial e contornar o problema, por isso é necessário realizar o exame”, explicou.

A deputada Therezinha Ruiz (PSDB), presidente da Comissão da Mulher, da Família e do Idoso, afirma que o Março Lilás marca um período de atenção especial à saúde da mulher. “A chamada que eu faço, como mulher e Presidente da Comissão da Mulher, da Família e do Idoso da Aleam, é que todas as mulheres façam seus exames corretamente. A orientação médica é fundamental para evitar este tipo de doença. É importante cuidar de nós, nossa saúde deve estar sempre em primeiro lugar”, defendeu.

Conização

A Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Lei (PL) nº 128 de 2021, de autoria da deputada estadual Nejmi Aziz (PSD), que obriga a realização do exame de conização em hospitais públicos de atenção à saúde da mulher, para a prevenção e o tratamento do câncer de colo uterino, mediante diagnóstico precoce.

A conização (Traquelectomia) consiste na retirada de uma porção do colo do útero em forma cônica, visando à obtenção de margens livres de lesão. O PL aguarda sanção governamental.

Fonte: ALEAM

Compartilhe!