Os deputados que participaram da Sessão Ordinária desta terça-feira (1) na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), de forma remota e presencial, destacaram a passagem do Dia Internacional de Luta contra a Aids, os recursos do Fundeb e a Sessão Especial de entrega da Medalha Ruy Araújo ao prefeito de Tefé, Normando Bessa.

Cabo Maciel (PL) cobrou explicações da prefeitura de Itacoatiara sobre a aplicação dos mais de R$ 62 milhões oriundos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) que, segundo ele, a prefeitura recebeu de janeiro a outubro deste ano. “Vale ressaltar que estamos em pandemia e as escolas do município estiveram paradas durante todo esse período e os professores estavam em home office. É necessário que se esclareça onde foram aplicados os 60% do Fundeb de Itacoatiara”, cobrou.

Serafim Corrêa (PSB) lamentou a notícia de que o ex-juiz Sérgio Moro trabalhará em uma empresa de consultoria empresarial que tem como clientes as construtoras Odebrecht e OAS. “É lamentável esse papelão do ex-juiz Sérgio Moro. Ele joga fora toda sua biografia quando depois de tirar o Lula do páreo nas eleições de 2018 e depois aceitar ser ministro. Agora ele resolveu manchar de vez. Agora ele vai trabalhar na empresa que cuida da recuperação judicial das duas empresas, não como consultor, mas como sócio”, advertiu.

Carlinhos Bessa (PV) lembrou o dia 1º de dezembro como o Dia Internacional de Luta contra a Aids que, de acordo com o parlamentar, vem aumentando nos últimos anos no Amazonas e no mundo. “É uma forma de chamar a atenção da população para prevenir essa doença, com o uso de preservativos e algumas medicações. Chamar a atenção dos governantes para aumentar o combate do HIV que hoje é um vírus controlado”, explicou.

O presidente Josué Neto (PRTB) relatou que apresentou uma emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para a compra de fardamento dos Policiais Militares (PMs) e Bombeiros. De acordo com ele, a emenda favorece os 8.749 PMs e 1.101 Bombeiros, totalizando 9.850 servidores, com um valor para cada servidor de 2.745 reais para custear os gastos com fardamento, R$ 3 milhões para os Bombeiros e R$ 24 milhões para comprar o fardamento dos PMs. “Essa emenda que estamos apresentando é direta e individual à Lei Orçamentária Anual (LOA 2021). Este recurso já estava previsto na LDO, porém não veio contemplada na LOA 2021 e pedindo à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) para que possamos aprovar na comissão e em plenário essas emendas”, explicou.

FONTE: ALEAM
Compartilhe!