A deputada Ivana Bastos (PSD) protocolou na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) uma moção na qual manifesta apoio irrestrito e pleno ao movimento internacional de conscientização para a detecção precoce do câncer de mama, denominado de Outubro Rosa.

A parlamentar destacou que o movimento teve início ainda na década de 1990 e foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure junto aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York (EUA), cujo símbolo principal era um laço com a cor rosa. “Desde então, esta campanha é promovida anualmente. No Brasil, o Outubro Rosa vem ganhando importância, ano após ano, tanto no meio científico quanto na sociedade organizada. Com isso, temos alcançado o objetivo maior que é o de compartilhar informações e promover a conscientização sobre o câncer de mama, a fim de contribuir para a redução da incidência e da mortalidade pela doença”, ressaltou.

Neste ano de 2021, afirmou a deputada, o foco é ampliar ainda mais o alcance das informações sobre o câncer de mama, principalmente nos locais de difícil acesso, onde é preciso sedimentar a importância da prevenção, diagnóstico precoce e rastreamento da doença. No documento apresentado ao Legislativo, Ivana Bastos chama a atenção para o fato de o câncer de mama ser o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento, quanto em países desenvolvidos. Dados da pesquisa realizada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que cerca de 2,3 milhões de casos novos foram estimados para o ano de 2020 em todo o mundo, o que representa cerca de 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas nas mulheres.

No Brasil, mostraram os estudos, foram estimados 66.280 casos novos de câncer de mama em 2021, com um risco de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres. A doença que atinge as mamas também ocupa a primeira posição em mortalidade por câncer entre as mulheres no Brasil, com taxa de mortalidade ajustada por idade, pela população mundial, para 2019, de 14,23/100 mil. A pesquisa indicou ainda que as maiores taxas de incidência e de mortalidade estão nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

Conforme mencionado por Ivana, na Bahia, o governo do Estado disponibilizará, neste mês de outubro, 14 mil mamografias como forma de prevenir e diagnosticar precocemente a doença, aumentando, dessa forma, as chances de cura. “Como deputada estadual e presidente da União Nacional do Legislativo (Unale), temos realizado campanhas internas nas assembleias legislativas de todo o país, incentivando a elaboração de legislação contendo políticas públicas capazes de reduzir os números de casos de mama que ainda se encontram com índices bastante altos, o que nos deixa alertas e preocupados”, disse a parlamentar.

Fonte: ALBA