40217865700_a844d11138_zOs pré-candidatos que recusaram o convite da União dos Legislativos Estaduais (Unale) para um painel, na quinta-feira (10), em Gramado, perderam a oportunidade de falar para mais de mil deputados estaduais, que representam milhares de eleitores de diversos Estados brasileiros. Todos foram convidados, mas só cinco aceitaram expor suas propostas para os parlamentares que lotaram o auditório da Faurgs: Henrique Meirelles (MDB), Alvaro Dias (Podemos), Manuela D’Ávila (PC do B), Guilherme Boulos (PSOL) e Ciro Gomes (PDT).

Em linhas gerais, todos concordaram com a necessidade de mais investimentos em segurança pública e educação e defenderam uma reforma tributária que fortaleça os municípios. Meirelles ficou sozinho na defesa das políticas do governo Temer, criticadas pelos outros quatro, com mais ênfase por Boulos e Manuela. Menos conhecido entre os cinco, o candidato do PSOL impressionou a plateia pela fluência.

Mais experiente entre os cinco em matéria de gestão pública e o único que já disputou a Presidência da República, Ciro Gomes foi o que mais arrancou aplausos do público. Ex-governador do Ceará, ex-ministro da Fazenda e da Integração Nacional, Ciro fez críticas às políticas dos governos de Michel Temer e Fernando Henrique Cardoso, mas tratou de poupar as administrações de Lula e Dilma Rousseff, em claro indício de que está de olho em uma aliança com o PT.

Sentados lado a lado, Ciro e a a deputada Manuela trocaram impressões enquanto os outros candidatos falavam. Mais tarde, em breve entrevista, Ciro foi perguntado se teria se encontrado regularmente com Manuela e se gostaria de uma aliança com o PC do B.

– Tenho me encontrado menos do que gostaria, porque ela é uma mulher inteligente e muito preparada.

Logo no início do painel, quando Manuela disse que gostaria de um copo d’água, o ex-governador do Ceará foi mais rápido do que a equipe de apoio e ofereceu o dele. Manuela, de sua parte, definiu o pré-candidato do PDT como um amigo.

Em uma rara fala de improviso, Meirelles citou de memória os números positivos da economia no governo Temer e, para quase todas as perguntas específicas, repetiu que para investir é preciso sanear as contas. O ex-ministro da Fazenda fez uma defesa enfática da escola pública e falou sem se preocupar com as especulações de que o MDB pode abrir mão da candidatura própria para apoiar um nome de outro partido.

Ex-governador do Paraná, Alvaro Dias se exaltou quando falou em segurança pública. Pediu tolerância zero contra o crime e autorização legislativa para que as autoridades possam tomar providências mais rigorosas.

Aliás

Vale registro, nesta pré-campanha, o alto nível dos candidatos que participaram do encontro da Unale, com discordâncias civilizadas e respeito à opinião do adversário.

Fonte: RBS
Compartilhe!