34341098704_f6dbc3bc32_oO diretor-presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Odacir Klein, destacou nesta quinta-feira (8), ao participar da 21ª Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (CNLE), que ocorre em Foz do Iguaçu (PR), a importância da abertura de novas linhas de financiamento, como instrumento para superar a atual crise econômica. O evento está reunindo governadores, parlamentares e especialistas em torno de uma série de debates que têm como tema central “O Brasil e suas reformas”.
Klein falou sobre a autonomia financeira e administrativa da instituição, que representa os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, e foi criada com o objetivo de fazer o Sul do Brasil prosperar.  “O BRDE tem uma característica diferente importante: ele não é da União”, observou. Durante a palestra, ao discorrer sobre as diferenças entre o BRDE e os outros bancos regionais, explicou, por exemplo, que o capital e controle é dos três estados da região Sul e que são feitos convênios para facilitar a disseminação do crédito.  Assim, na avaliação dele, a criação de novas linhas de crédito, com respaldo constitucional, pode contribuir para estimular o crescimento, trazendo soluções para a crise econômica nacional.
“O BRDE não custa nada para a União, atua com rigorosos critérios e pagou R$ 200 milhões em tributos para a União no ano passado”, explicou Klein. Em sua apresentação, o presidente do BRDE lembrou ainda que o banco tem entre seus clientes empresas do setor de agropecuária, indústria, comércio e serviços, bem como, de infraestrutura; e produtores rurais. Ele falou também sobre o Programa BRDE PCS (Produção e Consumo Sustentáveis), lançado em 2015, e que oferece linhas de crédito com condições especiais para projetos que minimizem o impacto ambiental. O PCS viabiliza empreendimentos nas áreas do agronegócio, indústria, comércio e serviços e do setor público. Concluiu a palestra dizendo que o BRDE é um instrumento disponível para que a União possa desenvolver políticas devidas à/na Região Sul.
Durante o painel, o presidente do BRDE enfatizou ainda que o banco tem sido um parceiro que apoia e acompanha o desenvolvimento de projetos para aumentar a competitividade de empreendimentos de todos os portes na região. Hoje a instituição é considerada uma referência em financiamentos de longo prazo para investimentos, capaz de transformar projetos em realidades.
O BRDE está sujeito a acompanhamento e controle do Tribunal de Contas, bem como à fiscalização do Banco Central do Brasil. Conta atualmente com cerca de 560 colaboradores que exercem suas funções nos três estados. A estrutura administrativo-organizacional é determinada por Regimento Interno estabelecido pelo Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (CODESUL) e fundamentada por Atos Constitutivos aprovados pelas Assembleias Legislativas dos Estados-Membros. Com sede administrativa e agência na cidade de Porto Alegre (RS), possui também agências em Florianópolis (SC) e em Curitiba (PR), além de um escritório de representação no Rio de Janeiro (RJ) e espaço de divulgação em Campo Grande (MS). Possui ainda espaços de divulgação em dez cidades da região Sul.
Promovida pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), em parceria com a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), a 21ª Conferência Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (CNLE), encerra nesta sexta-feira (9), com a divulgação da Carta de Foz do Iguaçu.
Nádia Fontana / ALEPR
Compartilhe!