35946932144_ab46d5a487_oA diretoria do Parlamento Amazônico — colegiado de deputados dos nove estados da Amazônia Legal: Amazonas, Acre, Amapá, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Pará, Maranhão e Tocantins — se reuniu na tarde desta quinta-feira (24), na sede da Unale, em Brasília. Durante a 2ª reunião da gestão 2017/2018, os deputados debateram temas ligados à Amazônia e decidiram o local dos próximos dois encontros.

Ficou pré-definido que o estado do Amazonas receberá um evento no próximo mês e Rondônia sediará outro em outubro. Mineração em terras indígenas, BR-319 (rodovia federal que liga as cidades de Manaus e Porto Velho) e a PEC 215 (Inclui dentre as competências exclusivas do Congresso Nacional a aprovação de demarcação das terras tradicionalmente ocupadas pelos índios), estarão na pauta dos encontros.

Estavam presentes no encontro os deputados Naldo da Loteria (PSB-RR), Francisco Mozart (PRP-RR), Cristina Almeida (PSB-AP), Gabriel Picanço (PRB-RR), Junior Verde (PRB-MA), Coronel Chagas (PRTB-RR), Ribamar Araújo (PR-RO), Só na Bença (RO), Jesuino Boabaid (PMN-RO), Masamy Eda (PMDB-RR) e Sinésio Campos (PT-AM).

36639452721_553def7fcb_oReunião com o presidente da Funai

Pela manhã a comitiva do Parlamento Amazônico se reuniu com o presidente interino da Fundação Nacional dos Índios, Franklimberg Ribeiro de Freitas, para tratar assuntos institucionais de interesse dos estados de Roraima e Amazonas.

Na ocasião, os parlamentares debateram com Freitas questões de geração de energia na região de Roraima, que atualmente possui uma energia cara e de má qualidade que provoca quedas constantes do fornecimento, prejudicando a população e a comunidade indígena local.

O presidente do Parlamento Amazônico, deputado Gerson Chagas (PRTB/RR), disse que a situação da energia no estado tem prejudicado a população e a comunidade indígena local. “É necessário darmos atenção a questão da energia no estado, a comunidade sofre com este problema há muito tempo, precisamos de uma solução o mais breve possível”, disse.

Também foi tratado sobre a BR-174, rodovia que interliga os estados brasileiros de Roraima e Amazonas à Venezuela, que fica bloqueada diariamente durante 11 horas pelos índios waimiris-atroaris, impedindo assim o desenvolvimento econômico dos estados por meio do comércio interestadual.

O presidente da Funai diz entender a importância do tráfego da rodovia e disse que a entidade buscará soluções viáveis. “Estamos buscando tratar de forma legal e institucionalizada destas questões que afetam o estado de Roraima, não deixando de observar o cenário econômico que o Brasil vive neste momento”, argumentou Freitas.

Camila Ferreira e Marina Nery / Ascom Unale
Compartilhe!