Search
Close this search box.
Foto: Antônio Lucas

Para dar continuidade às discussões relacionadas na busca de soluções e potencialização da região amazônica, a presidente do Parlamento Amazônico, deputada estadual Edna Auzier (AP), realizou a primeira reunião ordinária do Parlamento Amazônico 2023.

A Assembleia Legislativa de Rôndonia foi o local escolhido para sediar a ampla reunião, que recebeu mais de 30 deputados vindos de estados que compõe a Amazônia Legal: Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima, e a Amazônia Oriental, composta, por exclusão, pelos Estados do Pará, Maranhão, Amapá, Tocantins e Mato Grosso.

O governador de Rondônia, que participou do encontro, afirmou que a união dos nove estados que formam a associação é fundamental para a criação de políticas públicas que possam melhorar a vida de quem vive na Amazônia. “Ficamos muito felizes em razão dessa união dos parlamentos estaduais, precisamos demonstrar para o Brasil e para o mundo o potencial que temos na Amazônia”, afirmou o governador.

O evento também contou com a participação do Secretário Nacional do Fundo de Instrumentos Financeiros, Eduardo Tavares, que representou o Ministro do Desenvolvimento Regional do Brasil, Waldez Góes, e do presidente da AL RO, deputado estadual Marcelo Cruz, que demonstraram otimismo no desenvolvimento da região após esse primeiro momento.

Ainda na reunião foram empossados três novos membros da mesa diretora do Parlamento Amazônico: deputado Ismael Crispin (RO) como 3ºvice-presidente, deputado Rayfran Beirão (AP) como secretário de saúde e deputado Diogo Sênior (AP) como secretário de relações internacionais.

A presidente do colegiado, deputada Edna Auzier defende um modelo sustentável de utilização de recursos da Amazônia. “Primeiramente quero agradecer a recepção que tivemos no estado e dizer que nossa missão é cuidar da Amazônia, que sempre foi nossa principal missão. Mas acredito que a partir desse grande encontro e com o ministro do nosso estado, Waldez Góes, vamos avançar nessas pautas: mineração, agricultura e áreas de fronteira”, afirmou a deputada.

Por Simone da Costa Alves

Compartilhe!