A campanha Agosto Dourado foi criada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e promove anualmente o incentivo à amamentação no mundo inteiro. O nome Agosto Dourado vem do fato de que o leite materno é considerado padrão ouro na alimentação infantil.

O leite materno, segundo recomendação da OMS, deve ser o alimento exclusivo do recém-nascido até seus seis meses de vida, sendo ideal a continuação da amamentação até os 2 anos do bebê.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil é referência mundial em amamentação, pois 41% das mães amamentam exclusivamente os bebês nos seis primeiros meses, o dobro da taxa registrada em países como Estados Unidos, Reino Unido e China. Nas Assembleias Legislativas foram aprovadas leis importantes para incentivar o aleitamento materno.

Confira as Leis das Assembleias

ALEPE

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Pernambuco institui a Sala de Apoio à Amamentação.

ALEAP

Lei Ordinária n° 2.837/2023

Dispõe sobre implementação de salas de amamentação nas instituições públicas que prestam atendimento ao cidadão, e dá outras providências.

ALERS

Lei Ordinária n° 15.804/2022

Dispõe sobre a instalação de salas de apoio à amamentação em órgãos públicos do Estado do Rio Grande do Sul.

CLDF
Lei Ordinária n° 7.057/2022

Dispõe sobre a obrigatoriedade de instalação de salas de apoio à amamentação em órgãos públicos do governo do Distrito Federal.

ALEPB

Lei Ordinária n° 11.660/2020

Institui como período alusivo ao incentivo à amamentação o mês de agosto, o qual receberá como denominação de campanha o título de agosto dourado.

Por Danilo Gonzaga/Ascom Unale

Compartilhe!