alees-1-05-04Foi apresentado na Assembleia Legislativa do Espírito Santo, no dia 03 de abril, uma ferramenta virtual criada para assegurar transparência e ampliar a fiscalização de obras públicas. O projeto utiliza a tecnologia de planejamento 4D BIM (Building Information Modeling) e foi apresentado por um de seus desenvolvedores, o engenheiro eletricista e professor do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) Flávio Tongo.

De acordo com Tongo, o projeto foi contemplado em 2013 por edital do Programa de Subvenção Econômica do Espírito Santo (Tecnova-ES) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes). A iniciativa foi financiada com recursos dos governos estadual e federal.

A tecnologia já foi aplicada no acompanhamento da construção da nova sede do Sebrae-ES, em Vitória. “Nossa proposta é que a tecnologia seja aplicada a obras do governo do Estado, como hospital, escola, praças para que o cidadão possa acompanhar visualmente na Internet, por meio do computador ou do smartphone, como a obra está”.

Segundo o professor, o 4D BIM é “uma filosofia de criação de projetos com inteligência”. Também esclareceu que o planejamento 4D consiste em unir o modelo 3D (três dimensões) da obra ao cronograma a ser executado. Flávio Tongo informou que o governo federal publicou um decreto em junho de 2017 para criar uma comissão para estimular o uso do BIM nas obras públicas, visando diminuir atrasos, estouro de orçamento e baixa qualidade.

O secretário de Controle e Transparência, Marcos Pugnal, participou da reunião e ponderou sobre custos e benefícios do projeto para o Estado. Também sugeriu que a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) conhecesse mais sobre o projeto. O subsecretário de Controle e Transparência, Valber Pinheiro Padilha, também esteve presente.

A apresentação da ferramenta virtual ao colegiado foi proposta pelo deputado Bruno Lamas (PSB), que elogiou a importância do projeto para assegurar transparência às obras realizadas com recursos públicos.

Os outros membros do colegiado presentes à reunião, deputada Luzia Toledo (MDB) e o presidente Rodrigo Coelho (PDT), também elogiaram a iniciativa. Coelho, porém, indagou sobre custos e questões técnicas para plataforma de disponibilização das informações sobre andamento das obras à sociedade.

Fonte: ALES