cigarroO tabagismo é considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) a principal causa de morte evitável no mundo, sendo associado a 25% das mortes por doença do coração e 25% das mortes por derrame cerebral. Para diminuir esses percentuais, a OMS declarou o dia 31 de maio como o Dia Mundial de Combate ao Tabagismo.

A epidemia global do tabaco mata quase 6 milhões de pessoas por ano. Destas, mais de 600 mil são fumantes passivos (pessoas que não fumam, mas convivem com fumantes). Se nada for feito, estão previstas mais de 8 milhões de mortes por ano a partir de 2030. Mais de 80% dessas mortes evitáveis atingirão pessoas que vivem em países de baixa e média renda.

Na Assembleia Legislativa de Mato Grosso, alguns projetos de leis tramitam para alertar a sociedade para o problema do tabagismo. O deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) propôs, em 2016, a proibição do consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbo ou qualquer outro produto fumígeno, derivado ou não do tabaco, em praças, parques e demais locais ao ar livre destinados à prática esportiva e de lazer.

Uma campanha estadual antitabagismo nas escolas públicas foi proposta pelo deputado estadual Sebastião Rezende (PSC). Assim como também propôs o deputado Adriano Silva (PSB), que pretende inserir uma aula semanalmente nas escolas públicas e privadas alertando as crianças e jovens sobre os danos à saúde causados pelo fumo, álcool e tóxicos.

Sem tabaco – O Dia Mundial sem Tabaco foi criado em 1987 pela OMS, como um alerta sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. No Brasil, o Instituto Nacional  do Câncer (Inca) é o responsável pela divulgação e elaboração do material técnico para subsidiar as comemorações em níveis federal, estadual e municipal.

Fonte: ALEMT
Compartilhe!