733897A fachada da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) voltada para a praça será iluminada com a cor amarela a partir desta sexta-feira (26/5/17). A iniciativa, que vai até a próxima quarta (31), simboliza a adesão do Parlamento mineiro ao Movimento Maio Amarelo, que tem a intenção de alertar a sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

A campanha foi criada pela organização não governamental Observatório Nacional de Segurança Viária, a partir de resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), aprovada em 2010. A resolução define o período entre 2011 e 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”.

A resolução da ONU foi elaborada com base em um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidente de trânsito em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas.

O objetivo do Maio Amarelo é estimular o debate sobre o trânsito seguro, articulando sociedade civil e poder público. A ALMG aderiu à campanha por meio de carta de compromisso assinada em 9 de maio de 2016.

A cor amarela foi escolhida em alusão à sinalização de advertência, utilizada nos semáforos. Em 2017, o tema escolhido para a campanha é “Minha Escolha Faz a Diferença”, como um chamado à conscientização de cada um.

Ranking – De acorco com informações do site maioamarelo.com, o Brasil está em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, precedido por Índia, China, Estados Unidos e Rússia. Completam esse ranking Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. Juntas, essas dez nações são responsáveis por 62% das mortes por acidente no trânsito.

Em Minas Gerais, que possui a maior malha rodoviária do País, os acidentes de trânsito urbanos e rodoviários constituem a segunda maior causa de mortes por violência.

Maio – O mês de maio foi escolhido para a campanha em decorrência da comemoração do Dia Mundial da Segurança Viária e do Pedestre, além da Semana Mundial de Segurança do Pedestre, esta última lançada em 2013, que também é conhecida como Campanha Zenani Mandela, em memória da neta de Nelson Mandela, vítima de acidente de trânsito na África do Sul com apenas 13 anos.

O mês também é referência para a realização de um balanço referente à meta lançada pela ONU de redução de 50% no número de feridos e mortos no trânsito, entre 2011 e 2020.

Fonte: ALEMG
Compartilhe!