alece1A sala de Gestão dos Resíduos Sólidos da Assembleia Legislativa coletou, de janeiro a novembro de 2016, 18.699 quilos de material reciclável. Essa é uma das ações da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) desenvolvida pela Casa. Do total de resíduos sólidos, 13.867 quilos foram papel. Todo o material coletado pela AL é doado para cinco associações de catadores de Fortaleza.
Por conta da preocupação com a sustentabilidade, este ano a Assembleia Legislativa do Ceará recebeu do Ministério do Meio Ambiente (MMA) o Selo A3P Prata de Sustentabilidade na Administração Pública. A certificação é um reconhecimento dos órgãos que informam o MMA sobre ações da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), como controle do consumo de água, energia, combustível, entre outros. A AL foi a primeira Casa Legislativa do Brasil a receber essa certificação.
O Selo Prata é concedido a partir da comprovação dos resultados da A3P. É o reconhecimento pelo empenho das instituições públicas na entrega do Relatório Anual de Implementação da Agenda Ambiental. As informações levantadas para o preenchimento do relatório são encaminhadas através do Sistema de Monitoramento Socioambiental, disponibilizado pelo Ministério do Meio Ambiente.
Em 2012, a Assembleia Legislativa recebeu o Selo Verde do MMA por sua adesão à A3P, sendo também a primeira Assembleia do Brasil a obter a certificação. As informações levantadas para o preenchimento do relatório são encaminhadas através do Sistema de Monitoramento Socioambiental, disponibilizado pelo Ministério do Meio Ambiente.
De acordo com o responsável pela sala de Gestão de Resíduos Sólidos, Eugênio Paccelli, a expectativa para 2017 é continuar com a manutenção das ações da A3P para manter o Selo Prata, além de planejar a implementação de um projeto inovador na área de sustentabilidade, o que poderá conferir à AL a conquista do Selo Laranja. “O projeto que tem como alvo o Selo Laranja está previsto para 2018 e deve ser apresentado no primeiro semestre de 2017. Por enquanto, estamos analisando os melhores caminhos para implementá-lo”, explicou. O projeto está sendo desenvolvido pela Diretoria Adjunta Operacional (DAO) da Casa.
Fonte: ALECE
Compartilhe!