fm201360Encerra-se no próximo dia 28/4 a exposição do artista plástico Zeca Duran, no Espaço 5º Centenário, no andar Monumental da Assembleia Legislativa. Com os temas O Conjunto Arquitetônico de Santa Fé, Os Bichos da Nossa Terra, Críticas à Sociedade, O Simbolismo e o Abstrato, Zeca Duran diz que, na realidade, a apresentação de seus acrílicos e óleos sobre tela serve à divulgação de suas pinturas em murais.

Ele se autodefine como escultor, atividade a que vem se dedicando há dois anos, desde que conheceu o artista Adélio Sarro, reconhecido internacionalmente – autor da escultura Horizontes, doada em 2013 ao Museu dos Bandeirantes, na entrada do Hall Monumental do Legislativo paulista.

De fato, em sua mostra na Assembleia, Zeca Duran expõe fotos do monumento interativo de 20 metros de comprimento em concreto armado, realizado para o Internacional Clube do município de Santa Clara D”Oeste. “Trata-se de uma obra interativa, no caso um barco, que comporta quase 50 pessoas que podem entrar e compartilhar sensações, em vez de simplesmente olhar”, explicou Duran. Ele, aliás, abriu uma empresa que se dedica à construções de monumentos e esculturas de grande porte em praças públicas.

Mesmo sendo este seu objetivo, Zeca Duran já expôs e pretende expor suas obras em outros espaços. Afinal de contas, muito do que pinta traduz sua vivência como homem do interior, um “caipira brasileiro”, justificou. Por isso, há figuras da onça, tamanduá, sucuri ou teiú. E, no caso do quadro Guerra, símbolos denotam uma clara crítica à sociedade capitalista: uma bomba de petróleo movimenta o sistema, um tanque de guerra representa o controle militar e uma cópia do relógio do Salvador Dali conecta-se a uma prensa, ou seja, o povo massacrado.

Fonte: ALESP