bcbcdbaf0938621a6590c76ab50ad474a343f303O lançamento do livro “Envelhecer com deficiência intelectual: aspectos básicos sobre o cuidado e o acesso aos direitos” e a abertura da exposição fotográfica  “Deficiência intelectual e envelhecimento: um novo olhar” ocorridos nesta segunda-feira (4) encerraram as atividades da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Alesc em 2017.

“O objetivo é dar visibilidade às pessoas com deficiência intelectual em fase de envelhecimento. O livro e a exposição mostram o quanto podemos fazer”, avaliou Juliana Copetti Matos da Conceição, fisioterapeuta e coordenadora do Centro de Educação e Vivência da FCEE, que agradeceu a parceria com a Assembleia Legislativa.

Para o diretor de Ensino, Pesquisa e Extensão da FCEE, Pedro de Souza, chegou a hora de mobilizar a sociedade e os órgãos de governo para o acolhimento dos deficientes na velhice.

“Temos uma preocupação muito grande, as pessoas com deficiência intelectual estão vendo seus pais e cuidadores partindo, por isso queremos chamar a atenção da sociedade para a qualidade de vida nos centros de acolhimento”, declarou o diretor da FCEE, que defendeu a implantação de um centro de acolhimento em cada mesorregião do estado.

O deputado Ricardo Guidi (PSD), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da pessoa com Deficiência, renovou a disposição do Legislativo de continuar parceiro da FCEE e lembrou que os deficientes são titulares de direitos.

“A inclusão social e a acessibilidade são direitos de todos os deficientes”, afirmou o representante de Criciúma.

Estrutura com qualidade
Segundo cuidadora Regina da Silva Suenes, do Centro Educacional São Gabriel, vinculado a FCEE, os deficiente intelectuais idosos sofrem com a perda da família e com a qualidade das estruturas das casas de acolhimento.

“Eles têm pouquíssimo laços com as famílias, geralmente estão no acolhimento porque sofreram violência e foram negligenciados pelos familiares, então uma boa estrutura de acolhimento é vital”, reforçou Regina.

Uma cartilha sobre o cuidado e os direitos
O livro “Envelhecer com deficiência intelectual: aspectos básicos sobre o cuidado e o acesso aos direitos”, organizado por Greicy Kelly Bittencourte e Vilson Rodrigues da Silva, é um guia prático dos serviços disponíveis e dos direitos previstos em lei.

A cartilha aborda o cuidado do deficiente intelectual, a figura do cuidador, os serviços disponíveis em Santa Catarina e os direitos das pessoas com DI, como benefícios assistenciais, benefícios eventuais, pensão especial, passe livre intermunicipal, isenção de impostos sobre produtos industrializados, entre outros.

Exposição fotográfica aberta ao público
A exposição fotográfica “Deficiência intelectual e envelhecimento: um novo olhar” reúne cerca de 60 instantâneos da fotógrafa Lucélia Nunes, que permanecerão expostos no Espaço Didático Cultural da Alesc até dia 15 de dezembro.

“Queremos mostrar a participação social do deficiente intelectual, sua dignidade e sua independência nessa fase da vida”, explicou Lucélia.

Fonte: ALESC